sábado, 21 de janeiro de 2017

Após 24 anos de estrada, Ivete prioriza calma na carreira: 'menos ansiedade'
Postado Por: iveteonlineCompartilhe:


Foi uma entrevista rápida, de cinco minutos, com repórter e entrevistada apertados entre os fãs e a decoração da Casa do Sol, projeto de verão da TV Bahia (afiliada da Globo), no bairro da Barra, em Salvador. O pouco tempo foi suficiente para a cantora Ivete Sangalo falar ao G1 sobre vaidade, a conquista de calma na carreira e o modo como encara o machismo.

Com mais de duas décadas de estrada na música, a cantora de Juazeiro, no norte da Bahia, alcançou marcas impressionantes. Já gravou ao menos 300 canções, vendeu mais de 15 milhões de discos e recebeu mais de 150 prêmios nacionais e internacionais, como o "Grammy Latino" e "Shorty Awards". Pela Forbes (2014), foi considerada a “celebridade feminina mais poderosa do Brasil”. No ano seguinte, pela BillBoard, foi apontada como “a cantora mais popular do país”.

As conquistas e a maturidade alcançadas na carreira hoje dão à cantora o luxo de poder "desacelerar". Atualmente, ela faz cerca de 10 shows por mês. "Eu tenho mais calma hoje, especialmente em relação à minha carreira. Com relação à minha vida pessoal, ela urge assim numa velocidade incrível. Na vida profissional, há uma calma. Eu acho que a gente tem mais clareza, menos ansiedade. Já vieram muitas conquistas", admitiu Ivete Sangalo.

É no urgir da vida que a cantora pode cuidar da sua maior vaidade. "Eu tenho uma vaidade absurda com saúde. Eu não gosto de estar tipo bonitona e, de saúde, de sangue, tá com baixa de vitamina não sei o quê. Sabe dessas coisas dos exames darem tudo ok? Eu gosto de estar bem de condicionamento, eu quero estar bem de saúde, eu quero me alimentar direito", explicou.

Ivete confessa que é uma mulher de poucas vaidades no que diz respeito à busca pela beleza. "No meu dia-a-dia, tem reuniões de amigas minhas para eu comprar coisas, vestidos, sabe? Botar maquiagem para sair de casa? Eu sou uma pessoa completamente desencanada com isso. Sou uma pessoa do conforto. Eu não sou mulherzinha de me enfeitar. Eu sou bem prática. Eu sou bem objetiva. Quase mulâmbica", brincou.

Prestes a completar 24 anos de carreira, a juazeirense diz que encara com equilíbrio o apelo enfrentado por mulheres famosas em relação ao corpo, especialmente em uma sociedade estruturalmente machista. "O comportamento da gente tem que ser adequado aos nossos princípios. Acho que o corpo, como a pessoa lida com o corpo, como a mulher se mostra, isso não determina definitivamente a moral dessa mulher, nem o que ela tem para oferecer dentro da sociedade ou para ela mesmo. A mulher está cada vez mais bem resolvida consigo. Tem que ser feliz. Tem que se mostrar", defendeu.

É ainda nesse sentido que Ivete encerra a entrevista destacando que tem crescido como mulher, cantora, apresentadora e empresária não permitindo que o machismo crie asas em sua volta. "Eu sou realmente uma mulher forte na minha personalidade, no meu temperamento e isso me blinda de muitas coisas. Até mesmo quando você percebe alguma tentativa de abordar você com esses assuntos, imediatamente eu bloqueio isso. Mas acho que a gente está se educando. Acho que o tempo e os exemplos vão educando a gente e a sociedade".

video
Categoria: ,
Comentários
0 Comentários